Gabinete de Soluções

Desde início de sua trajetória como artista, ao participar da ação coletiva Atrocidades Maravilhosas, no ano 2000, o principal objeto de investigação de Guga Ferraz é a cidade. Há quase vinte anos trabalhando com intervenções em espaços públicos, o artista tem sua produção atravessada por questões como a violência urbana, problemas habitacionais, processos de exclusão … Continue lendo Gabinete de Soluções

Análise do novo circuito: periferia e antropofagia

A segunda década do século XXI está prestes a chegar ao fim. É uma difícil tarefa criar classificações em torno da produção artística dos últimos vinte anos – sobretudo se considerarmos a velocidade das transformações tecnológicas e comunicacionais e a reação que provocaram na arte. Contudo, já é possível enxergar nos anos mais recentes características … Continue lendo Análise do novo circuito: periferia e antropofagia

Participação e coletividade na arte contemporânea japonesa

Em 2015, a artista japonesa radicada em Berlim, Chiharu Shiota, esteve no Brasil para realizar sua primeira exposição individual em solo latino-americano. Em Busca do Destino esteve em cartaz no Sesc Pinheiros, em São Paulo, de setembro de 2015 até janeiro de 2016, com curadoria da brasileira Teresa Arruda, e contou com a participação do … Continue lendo Participação e coletividade na arte contemporânea japonesa

Alegoria – ou mula sem cabeça: a cidade que casou com o Bispo

Guga Ferraz realiza sua primeira individual na Artur Fidalgo Galeria apresentando trabalhos inéditos, realizados desde 2014. Reconhecido principalmente pelas intervenções de caráter crítico e dissensual que executa em espaços públicos desde o ano 2000, em sua exposição, composta por desenhos e esculturas, Guga não se desvencilha de seu processo de investigação sobre / na cidade, … Continue lendo Alegoria – ou mula sem cabeça: a cidade que casou com o Bispo