Mini-curso: Onde experimentar? Pós-modernidade, cidade e circuitos artísticos | CMAHO

Mini-curso de historiografia da arte brasileira com ênfase nos experimentalismos da década de 1960 aos anos 2000. Em duas aulas, serão apresentadas discussões teóricas em torno da ideia de pós-modernidade e dos lugares da arte, considerando seus embates e diálogos com instituições e sua inserção crítica na cidade.Aula 1: A cidade lúdica e o museu … Continue lendo Mini-curso: Onde experimentar? Pós-modernidade, cidade e circuitos artísticos | CMAHO

Curso: História da arte e os usos da imagem | Casa do Saber RJ

Este curso apresenta, de forma concisa, os principais aspectos do desenvolvimento da arte desde a Antiguidade até os dias de hoje. O principal objetivo é oferecer um panorama da história da arte sob um ponto de vista da sociologia e da teoria da imagem, analisando suas funções, usos e significados em diferentes períodos e sociedades, … Continue lendo Curso: História da arte e os usos da imagem | Casa do Saber RJ

Entre espaço público e espaço expositivo: a arte em trânsito de Guga Ferraz

Com o objetivo de analisar a inserção de trabalhos de intervenção urbana em espaços institucionais, o artigo concentra-se em um conjunto de três intervenções realizadas pelo artista brasileiro Guga Ferraz em espaços públicos – Ônibus Incendiado (2003), Cidade Dormitório (2007) e Até Onde o Mar Vinha, Até Onde o Rio Ia (2010-2014) –, investigando as … Continue lendo Entre espaço público e espaço expositivo: a arte em trânsito de Guga Ferraz

Documentação e iconização do efêmero: arte contemporânea e intervenção urbana | Revista Porto Arte

O artigo discute o estatuto da documentação do efêmero na arte contemporânea, e em particular na intervenção urbana, considerando mais do que o caráter indicial da imagem documental, mas seu valor como ícone. Trabalhos artísticos efêmeros realizados na ausência de um público - devido a seu caráter clandestino ou à sua localização - têm sua … Continue lendo Documentação e iconização do efêmero: arte contemporânea e intervenção urbana | Revista Porto Arte