Críticas

Notas sobre Christo e Jeanne-Claude

Faleceu no dia 31 de maio de 2020 o artista búlgaro Christo (1935-2020), um dos nomes mais representativos da expansão da arte para além das galerias e sua fusão com a paisagem e com a arquitetura - aquilo que a crítica Rosalind Krauss chama de "campo ampliado". Christo e sua parceira Jeanne-Claude (falecida em 2009) contribuíram… Continuar lendo Notas sobre Christo e Jeanne-Claude

Artigos e ensaios, Publicações externas

Entre espaço público e espaço expositivo: a arte em trânsito de Guga Ferraz | Revista Palíndromo

Com o objetivo de analisar a inserção de trabalhos de intervenção urbana em espaços institucionais, o artigo concentra-se em um conjunto de três intervenções realizadas pelo artista brasileiro Guga Ferraz em espaços públicos – Ônibus Incendiado (2003), Cidade Dormitório (2007) e Até Onde o Mar Vinha, Até Onde o Rio Ia (2010-2014) –, investigando as… Continuar lendo Entre espaço público e espaço expositivo: a arte em trânsito de Guga Ferraz | Revista Palíndromo

Artigos e ensaios, Publicações externas

Documentação e iconização do efêmero: arte contemporânea e intervenção urbana | Revista Porto Arte

O artigo discute o estatuto da documentação do efêmero na arte contemporânea, e em particular na intervenção urbana, considerando mais do que o caráter indicial da imagem documental, mas seu valor como ícone. Trabalhos artísticos efêmeros realizados na ausência de um público - devido a seu caráter clandestino ou à sua localização - têm sua… Continuar lendo Documentação e iconização do efêmero: arte contemporânea e intervenção urbana | Revista Porto Arte

Críticas

Gabinete de Soluções

Desde início de sua trajetória como artista, ao participar da ação coletiva Atrocidades Maravilhosas, no ano 2000, o principal objeto de investigação de Guga Ferraz é a cidade. Há quase vinte anos trabalhando com intervenções em espaços públicos, o artista tem sua produção atravessada por questões como a violência urbana, problemas habitacionais, processos de exclusão… Continuar lendo Gabinete de Soluções

Artigos e ensaios

Atrocidades Maravilhosas e Tupinambá Lambido: 20 anos de arte e mídia tática com lambe-lambes no Rio de Janeiro

Há cerca de 20 anos atrás, Alexandre Vogler começava a articular o que seria a primeira grande ação artística colaborativa de colagem de lambe-lambes no Rio de Janeiro – mídia que até então era pouco ou talvez ainda não explorada por artistas visuais cariocas. Cartazes lambe-lambe geralmente são vistos em tapumes, muros ou postes, anunciando… Continuar lendo Atrocidades Maravilhosas e Tupinambá Lambido: 20 anos de arte e mídia tática com lambe-lambes no Rio de Janeiro

Artigos e ensaios, Publicações externas

Homens de bem contra imagens do mal | Revista Poiésis

Alexandre Vogler, Tridente, 2006 A tentativa de interdição, por grupos cristãos, a uma intervenção urbana do artista Alexandre Vogler, bem como a perseguição pela polícia e por civis a trabalhos artísticos de Guga Ferraz, levanta discussões sobre a destruição de imagens e a potência a elas atribuída pelo olhar de quem as nega e as… Continuar lendo Homens de bem contra imagens do mal | Revista Poiésis

Críticas

Por uma não-objetividade

Desde que podemos falar de um regime estético da arte, que se dá com o advento da modernidade - segundo a tese de Jacques Rancière -, a arte liberou-se não apenas de sua qualidade retórica, como também de qualquer regra específica e de hierarquias de tema e gênero. A arte assume-se como um campo autônomo,… Continuar lendo Por uma não-objetividade

Críticas

Arqueologia da ausência e espectros do passado

Na noite de 10 de maio de 1933, uma multidão se formou na Opernplatz (atual Bebelplatz), em Berlim, para a realização de um grande evento conduzido pelos nazistas: a queima de cerca de 20 mil livros. Entre os autores-alvo dessa ação furiosa estavam Sigmund Freud, Karl Marx, Albert Einstein, Franz Kafka, Rosa Luxemburgo, Bertolt Brecht,… Continuar lendo Arqueologia da ausência e espectros do passado

Críticas, Publicações externas

Roberta Carvalho | Revista Dasartes

Roberta Carvalho é uma artista que transita entre videoarte, intervenção urbana, projeção e videomapping, diferentes meios que apresentam em comum o interesse da artista pela imagem técnica. Texto publicado na Revista Dasartes n. 83, abril de 2019. https://issuu.com/revistadasartes/docs/revista_dasartes_edicao_83/78

Artigos e ensaios, Publicações externas

Guga Ferraz: arte diante de conflitos urbanos | Atas do XIII Encontro de História da Arte da Unicamp

Atas do XIII Encontro de História da Arte: Arte em Confronto, 2019 Em 2003, o nome de Guga Ferraz circulou na mídia como o artista que “vandalizou” as placas de pontos ônibus do Rio de Janeiro, após colar nas mesmas adesivos em formato de chamas de fogo, como forma de sinalizar os recorrentes incêndios a… Continuar lendo Guga Ferraz: arte diante de conflitos urbanos | Atas do XIII Encontro de História da Arte da Unicamp